General
Texto

Bónus Adeus Celulite

8 Aulas None

1. Praticar Exercício

Investir em, pelo menos, 30 minutos diariamente para fazer algum tipo de exercício físico traz benefícios para as emoções, um tempo para pensar nos problemas e encontrar estratégias para solucioná-los, diminui a quantidade de cortisol, que é uma hormona ligada ao stress, e ainda liberta endorfinas na corrente sanguínea que promovem o bem-estar e a felicidade.

Isto pode ser simplesmente caminhar durante 30 minutos. A intensidade de esforço de uma caminhada é suficiente para desencadear excelentes mecanismos de redução do stress.

2. Comer os alimentos certos

Os alimentos mais naturais e menos processados têm um efeito calmante (sistema parassimpático), enquanto que as comidas mais processadas e menos naturais têm um efeito mais acídico que causa stress (sistema simpático).

Regra geral #1, se tem um rótulo, não é completamente natural.

Regra geral #2 - Podemos encontrar estes alimentos na periferia do supermercado (vegetais e fruta, carnes, peixes, ovos, água...). Normalmente, nos corredores centrais há mais alimentos processados.

3. Descansar

O cansaço físico e mental é dos desencadeantes do stresse e da ansiedade, por isso ter tempo para conseguir descansar todas as noites é uma grande ajuda para des-stressar. Aproveitar os fins de semana para conseguir relaxar um pouco e descansar também pode ajudar, mas se isso não for suficiente, pode ser preciso tirar alguns dias de férias de fim de semana a cada 3 meses, num local que goste e que possa descansar tranquilamente. As massagens também podem ajudar a combater a tensão muscular, trazendo alívio para a dor nas costas e a sensação de peso na cabeça e no pescoço.

4. Investir em calmantes naturais

Os ansiolíticos só devem ser tomados quando indicados pelo médico, no entanto existem diversos remédios naturais à base de plantas medicinais que podem ser úteis para ajudar a acalmar o sistema nervoso. Alguns exemplos são as cápsulas de valeriana ou maracujina e os chás de lavanda ou camomila, que quando ingeridos regularmente podem ajudar a ter uma noite de sono reparador.

5. Fazer terapia

As técnicas de relaxamento podem ajudar a acalmar e encontrar novamente o equilíbrio emocional, por isso, pode ser uma boa ideia procurar um psicoterapeuta quando achar que não consegue vencer seus problemas emocionais sozinho.Este profissional poderá indicar algumas estratégias para se acalmar e irá promover o auto conhecimento, que é de grande ajuda para conseguir determinar o que a pessoa realmente deseja. Assim ela poderá encontrar o caminho para solucionar os problemas.

6. Ter tempo para o lazer

Também pode ser útil encontrar algum momento para se dedicar ao lazer, estando ao lado de pessoas que realmente goste. Por vezes basta andar alguns minutos descalço na grama ou na areia da praia, pois alivia a tensão e atua com um tipo de massagem nos pés. 

7. Gerir melhor o tempo

Além disso tudo, uma outra estratégia que ajuda muito no combate aos stresse é administrar melhor o tempo definindo tarefas, objetivos e prioridades. Por vezes, esta tarefa pode ser a mais difícil de atingir, mas dar pequenos passos de cada vez pode ser mais eficaz do que esperar por uma solução que nunca virá. 

Se a pessoa adotar estas estratégias poderá sentir diferença, alcançando melhora dos sintomas de estresse e ansiedade como dor de cabeça frequente, cansaço e desânimo, em cerca de 10 dias. No entanto, a pessoa pode sentir-se melhor logo depois de praticar exercícios e ao dormir uma boa noite de sono.

8. Evite cafeína, álcool e nicotina.

Evite, ou pelo menos reduza, seu consumo de nicotina e qualquer bebida que contenha cafeína e álcool. A cafeína e a nicotina são estimulantes e, assim, aumentam o seu nível de stress, em vez de reduzi-lo.O álcool é um depressor quando tomado em grandes quantidades, mas age como um estimulante em quantidades menores. Portanto, usar o álcool como uma forma de aliviar o stresse não é útil.Troque as bebidas com cafeína e bebidas alcoólicas por água, chás de ervas ou sumos de frutas naturais diluídos e mantenha-se hidratado, pois isso vai permitir que o seu corpo lide melhor com o stresse.Também deve procurar evitar ou reduzir sua ingestão de açúcares refinados – eles estão contidos em muitos alimentos manufaturados (mesmo em alimentos salgados, como molhos de salada e pão) e podem causar falhas de energia que podem levar a sensação de cansaço e irritabilidade. Em geral, tente comer uma dieta saudável, equilibrada e nutritiva.

9. Experimente algumas técnicas de relaxamento

Todos os dias, tente relaxar com uma técnica de redução do stresse. Existem muitas maneiras experimentadas e testadas para reduzir o stresse, então tente algumas e veja o que funciona melhor para si.Por exemplo, tente a meditação, que é muito fácil e pode ser feito em qualquer lugar. Uma técnica muito simples é se concentrar em uma palavra ou frase que tenha um significado positivo para si. Palavras como “calma”, “amor” e “paz” funcionam bem, ou pode pensar num mantra auto-afirmativo como “Eu mereço paz na minha vida” ou “Conceda-me serenidade”. Concentre-se na sua palavra ou frase escolhida; se perceber que a sua mente vagueou ou tornou-se consciente de pensamentos intrusivos que entram na sua mente, simplesmente desconsidere-os e volte o seu foco à palavra ou frase escolhida. Se se sentir tenso novamente mais tarde, simplesmente repita silenciosamente a sua palavra ou frase.Não se preocupe se achar difícil relaxar no primeiro momento. O relaxamento é uma habilidade que tem de ser aprendida e que melhora com a prática.

10. Fale com alguém

Conversar com alguém sobre como se sente pode ser útil. Falar pode funcionar, seja distraindo-o dos seus pensamentos stressantes ou liberando parte da tensão acumulada, discutindo-a.O stresse pode obscurecer o seu julgamento e impedir que veja as coisas com clareza. Conversar com um amigo, colega de trabalho ou com um profissional habilitado como um psicólogo pode ajudá-lo a encontrar soluções para o seu stresse e colocar os seus problemas em perspetiva. Além disso, atualmente já é possível fazer terapia online e pode conversar com um profissional de psicologia do conforto da sua casa.

11. Reconheça o que lhe causa stresse

Procure identificar quais situações aumentam o seu nervosismo e estimulam o seu coração a bater mais forte. Se forem situações que possa evitar, evite-as. Se não tiver escapatória, prepare-se com antecedência para enfrentar o stresse com mais calma. Pode respirar profundamente para promover o relaxamento, ter pensamentos agradáveis e prazerosos, e não se identificar com o que estiver acontecendo. Por outras palavras, não tome as dores de ninguém nem mesmo as suas. Procure viver o momento sem pensar em como você estará emocionalmente exausto depois. Muitas vezes ao longo das nossas vidas conferimos grande importância a eventos ou impasses sociais (discussões, desentendimentos...) que não merecem tanta atenção assim. Perdemos energia a remoer o passado, preocupando-nos sem necessidade com algo que não podemos mudar. Há maneiras mais vantajosas de usar a sua energia, como, por exemplo, procurando uma solução eficaz para o problema.

12. Aprenda a delegar

Uma das maiores consequências da sociedade atual é o esgotamento, ou stresse crónico. Geralmente, ele manifesta-se quando estamos sobrecarregados em mais de uma área das nossas vidas. Para impedir que isso aconteça, desenvolva um sistema para delegar prioridades para cada compromisso. Não tente fazer tudo de uma vez, pois esse cenário nunca dá certo. Utilizar uma agenda ou caderno, ou aplicação no telemóvel para controlar o progresso dos seus afazeres, além de promover a organização, constrói uma visão mais ampla do que está a acontecer na sua vida. Esta forma de visualização é muito mais benéfica do que manter a lista de afazeres apenas na sua mente, não é? Ao delegar alguns afazeres, verá uma grande diferença na sua produtividade. Sem dúvida, terá mais disposição e tempo para determinar as atividades mais prioritárias e para descansar e reduzir o stress.

13. Não seja tão exigente consigo mesmo

Esta estratégia pode entrelaçar-se com a outra. Se, por qualquer motivo, não conseguir concluir os seus afazeres, não se culpe. O stresse age como uma porta de entrada para sentimentos e pensamentos negativos, os quais podem transformar-se em transtornos mentais. Por isso é que a presença do stresse e da ansiedade ao mesmo tempo é tão comum. A autoestima também é afetada pelo stresse. Crenças como “eu não sou bom o suficiente” ou “não faço nada certo” são comuns em pessoas stressadas. Para se verem livres dessas afirmações negativas, depositam ainda mais energia, esforço e sentimento no que fazem. É assim que chegam ao esgotamento. A culpa por ter errado ou não ter concluído uma tarefa ou não a ter feito com o capricho desejado não ajuda em nada. Além de não ser nada produtiva, deixa-nos infelizes, ansiosos, tristes e angustiados. Aprenda a perdoar-se quando as coisas não derem certo. Todos somos humanos e passíveis de erros. O lado bom é que podemos tentar de novo quantas vezes sejam necessárias. Seja gentil consigo mesmo para não alimentar o stresse.

Ver mais
Pen